A causa oculta das doenças

Por trás de uma doença ou acidente sempre existe um pensamento ou crença negativa.
Todos nós criamos uma realidade em nosso mundo mental, que se materializa em nosso corpo ou realidade concreta.

Se você acha que a causa de seus problema está na crise econômica, na frente fria, no trânsito, na violência, no chefe, no marido ou na esposa…

Saiba que você pode estar enganado.
A principal causa dos nossos maiores problemas e infortúnios
estão dentro de nós mesmos: nos nossos pensamentos e crenças.
Essa é a opinião de Louise Hay, que é uma das maiores pensadoras americanas da Psicossomática e autora do livro “VOCÊ PODE CURAR SUA VIDA” .
Só no Brasil esse livro vendeu mais de um milhão de exemplares e ajudou a modificar a consciência de muita gente.
Pessoas que, conduzidas por padrões mentais negativos,
deixaram-se levar pelas doenças e sentimentos nocivos.

Louise Hay aponta a crítica, o ressentimento e principalmente a falta de amor próprio como os grandes causadores de enfermidades e toda a sorte de problemas em nossa vida.

Criamos as doenças em nossa cabeça e o corpo funciona apenas como um reflexo dos pensamentos, crenças e sentimentos, ou seja, por trás de uma doença existe sempre uma crença incorreta:
“não sou bom o bastante”, “não vou conseguir”,
“sou culpado e portanto não mereço ser feliz”,
“nada prá mim dá certo”, “todos me perseguem” e por aí vai, a lista é interminável.

Se você não acredita na teoria de Louise Hay, saiba que ela se curou de um câncer fazendo afirmações positivas, tratamentos alternativos e mudando sua forma de encarar a vida.

A seguir você vai ficar conhecendo o significado das principais partes do nosso corpo e identificar os padrões mentais causadores de doenças.
Mas isso não dispensa de forma nenhuma o tratamento médico convencional.

O ideal seria escolher um médico de sua confiança e, paralelamente ao tratamento, fazer uma análise profunda da forma como você vê e se comporta diante da vida.

Ao resgatar sua auto-estima e adotar pensamentos positivos e otimistas, você estará criando condições para que seu organismo reaja de forma mais rápida e favorável ao tratamento.
Além de ajudar na recuperação mais rápida, você estará prevenindo o aparecimento de doenças futuras e construindo uma vida mais alegre e próspera.

CADA DOR TEM UMA HISTÓRIA..

Na lista a seguir você confere o significado de cada enfermidade.
Veja se o significado vale para você.

Se não, sente-se em silêncio, concentre-se e pergunte a si mesmo:
“Quais seriam os pensamentos que criaram isso em mim?”.

Alguns significados até que são fáceis de serem detectados, outros estão em níveis tão profundos de nossa psique que se torna necessária uma ajuda externa.

Uma vez identificadas as crenças incorretas começa mais uma etapa: a superação das carências e medos, fortalecimento do eu e a busca de uma uma nova filosofia de vida, mais positiva, alegre e confiante.

Acidentes
Incapacidade de defender-se.
Rebelião contra a autoridade.
Crença na violência.
Raiva, frustração e rebelião.

Acne ou espinhas
Você pode estar passando por um processo de baixa-estima.
Procure harmonizar-se mais.
Faça uma limpeza, não somente de pele, mas de pensamentos.
Acredite mais em seu potencial.

Alcoolismo
Sentimento de futilidade, inadequação, culpa, auto-rejeição.

Alergias
Talvez você não confie mais na força que possui.
Pode estar com dificuldades de lidar com o meio em que vive.
Acredite na vida.
O mundo não está contra você.
Negação do próprio poder.
Está defendendo-se de quê?
Aparecem naqueles que estão sempre nervosos e irritados
com as atitudes das outras pessoas com quem convivem.
Se você tem alergias procure ser mais calmo e compreensivo com aqueles que o rodeiam.

Anemia
Renove o seu interesse pela vida.
Nestes últimos tempos, talvez você tenha desistido de tudo,
acreditando que não consegue.
Você é uma pessoa que praticamente não tem nenhuma confiança em si mesma(o).
Falta de alegria, não é bom o bastante, hesitante, com medo da vida.

Ansiedade
Sua preocupação é um reflexo de sua falta de confiança na vida,
no universo, em Deus.
Reavalie sua postura frente a tudo isto.
Sem confiança no fluxo e no processo da vida.

Aparelho Respiratório:
Pessoas que estão sempre desesperadas,
sempre correndo e que gostam de fazer tudo ao mesmo tempo.
O resultado disso é que, muitas vezes,
elas não terminam nenhum de seus afazeres, ou não fazem nada direito.

Apendicite
Isto revela que está sendo muito severo com os outros ou consigo mesmo.
Aprenda a perdoar.

Arteriosclerose
Resistência, tensão.
Estreiteza mental.
Recusa em ver o bem.

Articulações
Representam as mudanças de direção na vida e a facilidade desses movimentos.

Artrite
Sentindo-se sem amor, crítica e ressentimento.

Perfeccionismo.
Pessoa muito crítica com as outras pessoas que a rodeiam,
sejam elas amigos, familiares, companheiros de trabalho, etc…
Você também é uma pessoa insistente,
talvez levando essa insistência longe demais.
Às vezes é bom deixar de lado, desistir de alguma situação difícil, caso não esteja recebendo o apoio de que necessita.
Persistir em algo muito complicado, sem ajuda de ninguém,
pode lhe trazer sérios problemas com os ossos de seu corpo ou
então uma artrite.

Asma
Talvez o excesso de atividades estejam causando medo e tensão.
Você é livre para mudar o curso de sua vida quando quiser.
Complexo de culpa.
Amor sufocante.
Incapacidade de respirar por si, sentindo-se contido.
Choro reprimido.

Ataques:
Pensamentos negativos, quem não é feliz.

Bexiga
Segurando a dor para si mesmo.

Braços
Emoções antigas.

Bronquite
Aprenda a relaxar mais. Está muito estressado e inquieto.

Bulimia
Ódio de si mesmo, achando não ser bom o suficiente.

Bursite
Raiva reprimida, vontade de agredir alguém.

Câncer, Cistos
Existe em você uma mágoa profunda que está destruindo seu ego.
Cure os antigos ressentimentos e aceite a vida como ela é;
as coisas como elas são.
Perdoe e liberte o seu passado.
Renove seus pensamentos.
Viva no aqui e agora.
Mágoa profunda, ressentimento antigo,
grande segredo ou pesar comendo o eu.
Carregando ódios.

Colesterol
Permita-se amar mais e dê espaço para o outro ser o que é.
Abandone seus pensamentos negativos.
Obstruindo os canais da alegria.
Medo de a aceitar a alegria.

Compulsão Alimentar
Aprenda a se aceitar mais.
Pare de se culpar. Seu medo de ser criticado pode destruir você.

Celulite
Preso a sofrimentos da primeira infância.
Agarrando-se aos trancos e barrancos do passado.
Dificuldade em avançar. Medo de escolher a própria direção.

Cabeça:
O que nós mostramos ao mundo.

Coluna:
Geralmente essas pessoas gostam de fazer tudo sozinhas e depois, acabam sempre reclamando que ninguém dá uma mãozinha.

Coração
Pessoas que não vivem do amor e da felicidade.

Dor de Cabeça
Você está com maus hábitos mentais, medo ou ressentimento.
Procure harmonizar seus pensamentos.
Passe a agir com mais coerência naquilo que acredita.

Dedos:
Ego, raiva, medo, preocupação, perda, pretensão.

Dentes
(cáries dentárias ou gengivites):
Talvez quase ninguém saiba, mas os dentes representam a família.
Se você é esteio de sua família, a pessoa a quem cabe tomar todas as decisões, arcando com todas as responsabilidades e conseqüências, é muito propensa a ter problemas com seus dentes, ou a desenvolver uma gengivite.
Indecisão duradoura.
Incapacidade de analisar idéias e tomar decisões.

Dor:
Culpa, medo de ser punido.

Desvios de Coluna
Incapacidade de fluir com o apoio da vida. Não se auto-sustenta.

Derrame
Desistir. Prefere morrer a mudar. Resistência. Rejeita a vida.

Diabetes
Tristeza profunda. Amargura. Grande necessidade de controlar.

Doenças crônicas
Recusa em mudar, medo do futuro. Insegurança.

Enfisema
Você teme a vida e fica ansioso frente a ela.
Aceite-se mais, cuide mais de você mesmo.

Enxaqueca
Sua dor é sinal de sua resistência a pressões que anda sofrendo.
Procure relaxar e resolver um conflito de cada vez.
Medos sexuais, resistência ao fluxo da vida ou desagrado por ser impelido por alguém.

Estômago
(problemas digestivos)
Dificuldade de assumir novas idéias e novas experiências.
Se você anda comendo muito , talvez seja a única forma que esteja encontrando para estagnar ou conter seus impulsos de criação.
Ou então, pode ainda significar que esteja totalmente insatisfeito com sua vida sexual.

Fígado:
Pessoa que acumula o sentimento de raiva dentro de si.
Procure liberar sua raiva e não guarde rancor de ninguém.
Quanto mais raiva guardar, pior será para você.

Frigidez:
Medo, culpa sexual.

Garganta:
Medo de mudanças, dificuldade em falar e frustração.
Quando você tiver algum distúrbio nesta região de seu corpo,
não pense duas vezes antes de liberar toda sua criatividade,
para assim ampliar a proteção de sua aura.
Fale, exponha suas idéias, mesmo correndo o risco de não serem aceitas.
Criatividade sufocada, raiva engolida, incapacidade de expressão

Gastrite:
Este tipo de sintoma quase sempre se manifesta em pessoas
que guardam para si os problemas, são, maioria das vezes,
pessoas introvertidas e que demonstram uma falsa calma e tranqüilidade.
Incerteza prolongada. Sensação de condenação.

Genitais:
Rejeição sexual.

Gordura localizada
Para o conceito esotérico, este tipo de gordura,
principalmente quando localizada nas coxas,
significa que, quando era criança,
você não recebeu aquele carinho tão especial e necessário do colo de sua mãe que com o calor de seu corpo transmitira o amor e a segurança que precisava.
Inconscientemente, esta carência está registrada em seu íntimo,fazendo-o desenvolver algum tipo de gordura localizada.

Gordura
Proteção e supersensibilidade

Gripe
Abalo forte no sistema imunológico causado por choque emocional.

Medo, tristeza ou inquietação.
Você é influenciável demais.
Aprenda a valorizar o lado bom das coisas.

Gagueira
Você fica inseguro com a avaliação dos outros.
Pratique a auto-aceitação.

Herpes
Aceite mais a própria sexualidade.
Vença os sentimentos de culpa e vergonha pelos próprios genitais.

Hipertensão
Problemas emocionais duradouros não resolvidos.

Infarto
Espremendo toda a alegria do coração em favor do dinheiro, posição, etc.

Impotência
Você está muito tenso.
Aprenda que está no comando de sua própria vida. Confie.
Ultrapasse as pressões sexuais.

Insônia
Com medo ou com culpa quem pode relaxar?
Ame, perdoe a você mesmo, tenha mais fé na vida.
Medo, não confia no processo da vida, Culpa.

Joelho
Inflexibilidade, ego, medo de mudanças, há um excesso de humildade.

Labirintite
Medo, medo de não estar no controle.

Mãos:
Pão duro (não gostam de gastar dinheiro).

Menopausa
(problemas)
Medo de não ser mais desejada, não ser boa o bastante.

Menstruação
(problemas) –
Rejeição da feminilidade e dos órgãos sexuais, culpa.

Miopia
Viva o aqui e agora. Acredite na vida.
O futuro não precisa ser tão nebuloso quanto você pensa.

Obesidade
Sua falta de auto-estima provocou um comodismo excessivo.
Desenvolva mais amor próprio, cure suas inseguranças.

Orelhas
Dificuldade de aceitar o que lhe é dito.

Pele:
Pessoas que possuem poder sobre você.

Pernas:
Medo de enfrentar as coisas novas do dia a dia.

Pés
Dificuldade em compreender a si próprio(a).
Suas opiniões quase nunca são escutadas ou
respeitadas pelas pessoas mais próximas.

Pescoço
Pessoas muito teimosas e inflexíveis.
Para estas pessoas,
a aura nesta parte do corpo não vai além de alguns centímetros de proteção.

Prisão de Ventre
Você está muito ligado a antigas idéias.
Aprenda a perdoar e a esquecer.
Recusando-se a soltar velhas idéias.
Preso no passado.

Problemas na Coluna
Vença sua dificuldade em criar harmonia com a vida.
Ame, perdoe e abandone o ódio.

Problemas no Estômago
Com medo, apreensão e nervosismo,
sua capacidade em “digerir” as coisas da vida fica prejudicada.

Retenção de Líquidos
Na alquimia, a água representa intuição.
Se você tem tendência a reter líquidos em seu organismo,
deve ser uma pessoa de intuição muito forte.
Não tenha medo e libere suas manifestações intuitivas.

Rins
É exatamente no chackra supra-renal que as mágoas se acumulam, diminuindo muito a proteção do campo áurico dessa região.
Não é por acaso que, em uma situação de separação, por exemplo, que geralmente traz consigo muita mágoa,
tristeza e dor, os envolvidos acabam desenvolvendo alguma coisa relacionada a este órgão,
como é o caso de um cálculo renal.

Reumatismo
Sentindo-se vítima, ressentido, amargura crônica, falta de amor.
Existe muita amargura ou ressentimento em seu coração.
Liberte-se do passado. Relaxe e não culpe a vida.

Sinusite
Irritação com alguém bem próximo.

Torcicolo
Teimosia inflexível.

Tuberculose
Definhando por causa do egoísmo,
pessoa possessiva, com pensamentos cruéis e vontade de vingança.

Tumor:
Feridas antigas, tormento, não se permite a cura.

T.P.M.
(Tensão Pré-Menstrual)
Você pode estar rejeitando a própria feminilidade ou
dando muita força para os acontecimentos externos.
Aceite seu corpo como ele é.
Harmonize-se com o ambiente em que vive.

Úlceras
Algo o consome por dentro, medo de não ser bom o bastante.
Medo de não ser bom o suficiente.
Sua constante ansiedade criou hábitos de medo.
Está deixando algo corroê-lo por dentro. Perdoe. Aceite.

Vagina
Machucada emocionalmente pelo parceiro.

Varizes
Geralmente são aquelas pessoas que não aceitam as condições que lhes são impostas, querendo que tudo ocorra sempre ao seu jeito.
Parado numa situação que odeia, sentindo-se sobrecarregado e com excesso de trabalho, desencorajado.
Está preocupado demais no trabalho.
Sente dificuldade em manter o seu status.
Relaxe mais. Busque o equilíbrio.

A agressividade é sinal de que algo não vai bem…

Esta afirmação contém uma profunda verdade. Você sabe por quê? É simples, porque só podemos conceber uma atitude de agressividade de alguém que não está “de bem” com ela mesma; se ela estivesse em harmonia, feliz, amorosa e “de bem” com a vida, como ela poderia ser agressiva? É simplesmente impossível.

Temos que nos dar conta de que é a nossa reação interior diante da agressão que é o nosso verdadeiro inimigo, e não a pessoa ou a circunstância que a provocou. Precisamos entender que, na verdade, a pessoa que nos faz vivenciar sentimentos ou emoções negativas é como um agente necessário que retira de dentro de nós as nossas fraquezas que, muitas vezes, não percebemos, mas temos de curar em nós.

Isso também se aplica a determinadas situações na vida, quando enfrentamos dificuldades e sentimos medo, insegurança, apegos, etc., e que também nos mostram que estamos equivocados com nossos pensamentos e na nossa maneira de viver. Reflita nesta antiga verdade:

O medo bateu na porta. O amor foi atender e não havia ninguém.

Então, cabe a nós, com serenidade e controle emocional, não nos envolvermos com o ego e compreender que, nesse instante, aquela pessoa agressiva não está vendo o mundo com os olhos do Ser. Podemos até afirmar que, embora esteja nos fazendo mal, dentro de uma visão espiritual está nos fazendo bem, nos mostrando o que necessitamos ver. Deste modo, não se pode exigir dela o que ela ainda não conquistou. Seria como pedir dinheiro emprestado para um banco falido.

Isso não quer dizer que quando somos agredidos moralmente ou fisicamente devemos ser passivos e deixar de nos defender. Não devemos permitir que sejamos um saco de pancadas em nome da compaixão e nem tentar nos comportar altruisticamente a exemplo dos grandes mestres, quando, na verdade, não alcançamos, ainda, este estágio elevado de desprendimento.

Mas, mesmo assim, surge outra pergunta importante, pois afinal o nosso propósito é entender com muita lucidez a complexa condição humana. A pergunta é:

E se no momento que estou sendo agredido e injustiçado, sentir vontade de revidar e mostrar o quanto estou magoado e ferido, o que devo fazer? Reprimir a minha raiva ou soltar todos os palavrões que tenho vontade e direito de dizer?

Quem, por acaso, não se defrontou com uma situação dessa natureza?

Agora preste atenção para esta resposta e não se surpreenda com ela:

Parabéns! Você está passando por um teste.

Considere esta situação como uma verdadeira bênção; um verdadeiro presente de Deus; a oportunidade de ouro para você perceber se vê o mundo através dos olhos do ego ou do Ser.

Eu sei que não é fácil, porque podemos nos dar conta de que não transcendemos os nossos medos e de que ainda estamos inseguros de nós mesmos, mas não podemos perder essas maravilhosas oportunidades que a vida nos apresenta, pois serão elas que irão nos amadurecer e nos demonstrar de forma vivencial a maneira com que vemos o mundo e como podemos mudá-lo.

Embora haja dor nesse processo, devemos considerá-la como uma verdadeira cirurgia espiritual; uma purificação da nossa alma, porque, quando, por fim, alcançarmos o estado do Ser, seremos autênticos com os nossos sentimentos e teremos transcendido as nossas fraquezas. Portanto, não se trata de reprimir a raiva. Ela simplesmente deixará de existir.

Fonte: Livro ‘O Divino Jogo do Ser – Uma nova visão para o despertar espiritual’, de Roberto Saul – Editora Alaúde

Saiba como evitar o Stress

Sintomas do Stress

O stress surge como uma resposta do organismo para se defender. No entanto, quando persiste durante muito tempo, pode dar origem a diversos sintomas físicos e psicológicos.

Em situações de stress o organismo liberta uma quantidade excessiva de adrenalina e catecolaminas. É esta libertação de hormonas que provoca diferentes reações no corpo humano, entendidas como sendo sintomas de stress.

Sintomas físicos do stress

  • aumento da frequência cardíaca
  • aumento da tensão arterial
  • aumento dos níveis de açúcares e gordura no sangue
  • insónias
  • dor de costas, de cabeça ou tensão no pescoço
  • transtornos gastrointestinais (especialmente dores de estômago)
  • cansaço excessivo
  • sensação de falta de ar

Sintomas emocionais e cognitivos do stress

  • depressão
  • ansiedade
  • pensamentos negativos recorrentes
  • irritabilidade excessiva
  • sensação de falta de controlo
  • dificuldades de concentração, de memória, de aprendizagem e de decisão

A melhor forma de não se estressar com as coisas boas, é saber lidar com elas. “Planejar, saber dinamizar as coisas é o melhor jeito de evitar o estresse” recomenda a psicóloga Tania Valiati. Segundo a doutora, é importante se organizar, marcar horários para fazer as coisas e algumas vezes reservar um tempo livre para descansar.

No trabalho, procure quebrar o ambiente maçante. Colocar uma planta na sua mesa ou fotos de pessoas queridas ajudam muito. Quando o serviço estiver muito corrido, procure reservar um tempo para descansar, nem que seja só um pouquinho.

Uma opção é escutar música, mas isso pode variar muito de pessoa para pessoa. “Cada pessoa tem que saber que tipo de música é melhor para ela” lembra a psicóloga. Para pessoas que adoram dançar, escutar música clássica pode deixá-las mais nervosas. Nesses casos o melhor pode ser sair para se divertir. Para outras pessoas, a recomendação pode ser escutar jazz, rock ou até mesmo um samba.

Ao sair do trabalho, o importante é pensar em outras coisas, aliviar a cabeça. As opções podem ser desde sair com os amigos, dar um passeio, até tomar um banho relaxante ou ler um livro. Cada pessoa deve procurar a sua forma de aliviar a rotina. Nos casos mais graves, procurar ajuda de um psicólogo pode ser uma solução.

Coisas boas também estressam

Quando se fala em estresse, as pessoas logo o associam a coisas ruins, como excesso de trabalho, problemas ou barulho. Mas a verdade é que coisas que são boas também estressam. Viagens, promoções ou até mesmo férias podem ser estressantes.

Isso ocorre quando não conseguimos planejar ou administrar bem as coisas. “O estresse é uma defesa do organismo para condições do ambiente”. Segundo a dra, o estresse “é prejudicial quando a gente não consegue lidar com as coisas que acontecem”.

Um exemplo desse tipo de estresse pode ser uma promoção do trabalho. A pessoa começa a ficar tão ansiosa pela promoção, que isso pode acabar estressando. Se a promoção demora para chegar, ou se ela chega mas traz mais responsabilidades que o esperado, pode ser prejudicial.

Outro exemplo são as viagens. “É muito comum as pessoas se estressarem por causa de viagens” comenta Dra Tania. Segundo a doutora, alguém pode estar tão ansioso por uma viagem que acaba não se preparando e, quando finalmente chega o momento de viajar, ele não consegue curtir, de tão nervoso. “Outro caso é quando se quer aproveitar ao máximo o passeio”, diz ela, “Fica-se tão ocupado tentando ver o máximo de coisas e não perder nada, que acaba-se não comendo, não se alimentando direito” completa.

Um casamento, que é uma ocasião especial, pode acabar se transformando num transtorno para o casal. Desejando fazer uma grande cerimônia os noivos podem se desgastar na organização. Algumas vezes, é mais aconselhável fazer uma coisa mais simples, e aproveitar o casamento.

Qualquer alteração, enfim,  da rotina pode estressar alguém, se não souber lidar com a situação. A recomendação é planejar e se organizar. Para as coisas boas também.

Como saber se você se estressa com coisas boas

Se, ao tentar sair da rotina, você apresenta algumas das reações abaixo, tome cuidado, você pode estar se desgastando com coisas que deveria aproveitar.

Ao viajar:

  • Você fica eufórico, não pode ver a hora de sair, de forma que não consegue fazer nada, nem planejar a viagem.
  • Você quer fazer de tudo, não quer perder nada, quer ver tudo, experimentar de tudo sem ter tempo de descansar.
  • Fica pensando que tudo vai dar errado, que vai perder o trem, que vai chover, que não vai conseguir aproveitar o passeio.
  • Não pára de pensar em coisas que deveria ter feito antes de viajar.
  • Fica preocupado se os filhos/parentes estão bem, se estão conseguindo se virar sozinhos.
  • Você não pára de pensar no trabalho, fica pensando nas coisas que deveria ter feito.

Ao receber uma promoção:

  • Você não vê a hora da promoção chegar e, se ela atrasa, você fica preocupado, imaginando o que pode ter acontecido.
  • Não consegue organizar suas novas prioridades ou responsabilidades.

Ao organizar um evento:

  • Fica ansioso, não vê a hora do evento chegar.
  • Fica preocupado com os mínimos detalhes, se desespera se alguma coisinha sai errado.
  • Tenta organizar uma coisa grande demais, mas no final são tantos detalhes que o evento não é aproveitado.

O que fazer para aproveitar as coisas sem se estressar:

  • Planeje bem seu tempo.
  • Organize e determine de forma clara suas prioridades.
  • Não se valorize ou desvalorize demais. Procure certificar se tudo estará bem na sua ausência.
  • Não deixe coisas por fazer ao tirar férias ou viajar.
  • Tenha consciência de suas capacidades, não ultrapasse seus limites.

 

Orientações Gerais sobre FIBROMIALGIA


A fibromialgia não deve ser encarada como uma doença que necessita de tratamento, mas sim como uma condição clínica que requer controle. Isso porque, na pessoa predisposta, suas manifestações ocorrem ao longo da vida, na dependência de uma gama de fatores físicos e emocionais. Nesse contexto, as manifestações devem ser tratadas na direta proporção de sua gravidade.

De uma forma geral a abordagem da fibromialgia repousa em quatro pilares a saber:

– Exercícios para alongamento e fortalecimento muscular, assim como para condicionamento cardiorrespiratório.
– Técnicas de relaxamento para prevenir espasmos musculares.
– Hábitos saudáveis para melhorar a qualidade de vida e reduzir o estresse.
– Medicações para o controle da dor e dos distúrbios do sono.

Exercícios

Exercícios físicos regulares melhoram o tônus muscular, melhoram a sensação de dor e os distúrbios do sono. Isso porque uma série de substâncias são liberadas durante exercícios de baixo impacto de alongamento e fortalecimento muscular, em especial as endorfinas (analgésicas) e somatostatina (promove o trofismo muscular).

Relaxamento

Deve-se balancear os períodos de trabalho e lazer, vigília e sono. O relaxamento, não apenas físico, mas também mental é importante na abordagem da fibromialgia. Isso porque se busca quebrar um círculo vicioso constituído por dor, estresse, depressão e distúrbios do sono.

Educação e hábitos saudáveis

Os pacientes com fibromialgia devem ter conhecimento pleno de sua condição clínica, uma vez que ela se caracteriza por recidivas intermitentes dos sintomas de dor e fadiga. Dessa forma os sintomas podem ser tratados assim que se manifestam com medidas não medicamentosas e se necessário, com o uso de medicamentos. No sentido de prevenir as manifestações de dor e de depressão, os pacientes com fibromialgia devem buscar hábitos saudáveis e regulares em termos de alimentação, lazer e sono.

Medicamentos

Quando necessários devem ser prescritos pelo médico. Isso porque em cada recidiva a fibromialgia pode se manifestar de forma diferente, necessitando de diferente abordagem medicamentosa.

O que é fibromialgia

O termo fibromialgia refere-se a uma condição dolorosa generalizada e crônica. É considerada uma síndrome porque engloba uma série de manifestações clínicas como dor, fadiga, indisposição, distúrbios do sono . No passado, pessoas que apresentavam dor generalizada e uma série de queixas mal definidas não eram levadas muito a sério. Por vezes problemas emocionais eram considerados como fator determinante desse quadro ou então um diagnóstico nebuloso de “fibrosite” era estabelecido. Isso porque acreditava-se que houvesse o envolvimento de um processo inflamatório muscular, daí a terminação “ite”.

Atualmente sabe-se que a fibromialgia é uma forma de reumatismo associada à da sensibilidade do indivíduo frente a um estímulo doloroso. O termo reumatismo pode ser justificado pelo fato de a fibromialgia envolver músculos, tendões e ligamentos. O que não quer dizer que acarrete deformidade física ou outros tipos de seqüela. No entanto a fibromialgia pode prejudicar a qualidade de vida e o desempenho profissional, motivos que plenamente justificam que o paciente seja levado a sério em suas queixas. Como não existem exames complementares que por si só confirmem o diagnóstico, a experiência clínica do profissional que avalia o paciente com fibromialgia é fundamental para o sucesso do tratamento.

A partir da década de 80 pesquisadores do mundo inteiro têm se interessado pela fibromialgia. Vários estudos foram publicados, inclusive critérios que auxiliam no diagnóstico dessa síndrome, diferenciando-a de outras condições que acarretem dor muscular ou óssea. Esses critérios valorizam a questão da dor generalizada por um período maior que três meses e a presença de pontos dolorosos padronizados.

Diferentes fatores, isolados ou combinados, podem favorecer as manifestações da fibromialgia, dentre eles doenças graves, traumas emocionais ou físicos e mudanças hormonais. Assim sendo, uma infecção, um episódio de gripe ou um acidente de carro, podem estimular o aparecimento dessa síndrome. Por outro lado, os sintomas de fibromialgia podem provocar alterações no humor e diminuição da atividade física, o que agrava a condição de dor.

Pesquisas têm também procurado o papel de certos hormônios ou produtos químicos orgânicos que possam influenciar na manifestação da dor, no sono e no humor. Muito se tem estudado sobre o envolvimento na fibromialgia de hormônios e de substâncias que participam da transmissão da dor. Essas pesquisas podem resultar em um melhor entendimento dessa síndrome e portanto proporcionar um tratamento mais efetivo e até mesmo a sua prevenção.

Freqüência na População

Com base em pesquisas internacionais, a freqüência da fibromialgia é de 1 a 5% na população em geral. Nos serviços de Clínica Médica, essa freqüência é em torno de 5 % e nos pacientes hospitalizados, 7.5%. Na clínica reumatológica, por sua vez, essa síndrome é detectada entre 14% dos atendimentos. No Brasil, alguns trabalhos falam a favor de uma prevalência em torno de 10% da população e salientam a influência de fatores sócio-econômicos.

A fibromialgia é mais freqüente no sexo feminino, que corresponde a 80% dos casos.

Em média, a idade do seu início varia entre 29 e 37 anos, sendo a idade de seu diagnóstico entre 34 e 57 anos. Os sintomas de dor, fadiga e distúrbios do sono tendem a instalar-se lentamente na vida adulta, no entanto, 25% dos casos referem apresentar estes sintomas desde a infância. Não se deve esquecer que as manifestações de dor muscular são muito comuns na infância, ocorrendo em torno de 7 % dos casos atendidos no ambulatório de Pediatria Geral. Isso não quer dizer que essas crianças terão evolução para fibromialgia. No entanto, foi descrita a tendência de a fibromialgia ocorrer em mulheres de uma mesma família.

Quadro Clínico

Dor musculoesquelética

A dor muscular é uma manifestação muito freqüente na fibromialgia, podendo ser difusa ou acometer preferencialmente algumas regiões, como o pescoço e os ombros e então propagar-se para outras áreas do corpo. O paciente descreve sua sensação de dor das mais diferentes formas: desde um leve incômodo até uma condição incapacitante. Por vezes relata ardência, dor em pontadas, rigidez, câimbras. Essas manifestações variam de acordo com o horário do dia, intensidade dos esforços físicos realizados, condições climáticas, aspectos emocionais e ligados ao padrão do sono. Apesar de a fibromialgia poder apresentar-se de forma extremamente dolorosa e incapacitante, ela não ocasiona comprometimento das articulações e não causa deformidades.

Como no exame físico não são encontrados achados característicos, foram propostos em 1990 critérios que são adotados internacionalmente para o diagnóstico da fibromialgia. Esses critérios baseiam-se na presença de dor generalizada e de pontos padronizados que são pesquisados pelo médico. A presença dos pontos dolorosos é o achado primordial do exame físico. Esses pontos são considerados presentes quando, ao serem pressionados pelo médico, o paciente refere dor.

Apesar de ser bem conhecida do reumatologista, a fibromialgia tem despertado o crescente interesse da classe médica em suas diferentes especialidades. Isso é muito bom, porque as manifestações observadas na fibromialgia também podem estar presentes em outras doenças. Portanto se uma pessoa apresentar queixas de dor muscular por um período maior que três meses consecutivos, aconselha-se que ela procure o seu médico para que o diagnóstico correto seja estabelecido.

Manifestações Associadas

Manifestações não relacionadas à dor muscular são observadas na fibromialgia, algumas presentes em mais de 50% dos casos. Dessa forma, a fibromialgia pode estar associada à fadiga intensa (síndrome da Fadiga Crônica), à irritação intestinal (síndrome do cólon irritável), à dor de cabeça (cefaléia), a condições que causam o movimento involuntário das pernas durante o sono (síndrome das pernas inquietas) e à presença de irritabilidade na bexiga. Por vezes o paciente relata inchaço das mãos e dedos arroxeados em ambientes frios (fenômeno de Raynaud).

É muito freqüente o paciente relatar dificuldade para dormir, o que resulta em sonolência diurna. Esse quadro é denominado de sono não restaurador, porque o paciente acorda de manhã cedo com a sensação de que dormiu mal e não descansou durante a noite.

Não se pode deixar de mencionar as alterações do humor presentes na fibromialgia e que podem resultar em quadros de ansiedade e / ou depressão. Pessoas com fibromialgia ocasionalmente referem diminuição na capacidade de se concentrar e de executar tarefas comuns. Não há evidências de que esses problemas se tornem mais sérios com o decorrer do tempo.

Diagnóstico

O diagnóstico de fibromialgia se baseia nas queixas de dor generalizada por um período maior que 3 meses, associada à presença dos pontos dolorosos padronizados.

Embora os pontos ilustrados acima sejam usados para diagnóstico, muitos outros pontos de dor podem estar presentes. O paciente pode não estar ciente da exata localização desses pontos dolorosos até o momento em que eles sejam especificamente pesquisados durante o exame médico. Não existem exames específicos laboratoriais ou radiológicos que permitam diagnosticar a fibromialgia. Esses testes apenas ajudam quando definem outro diagnóstico e excluem a fibromialgia. Portanto, o mais importante para o diagnóstico são a história e o exame físico cuidadosos.

Fibromialgia Juvenil

Introdução

O reconhecimento das doenças que se manifestam com dor na infância é importante no sentido de se tentar melhorar o desempenho e a qualidade de vida da criança. Dentre essas condições dolorosas destaca-se a fibromialgia que manifesta-se com dor musculoesquelética difusa crônica sem acometimento inflamatório ou envolvimento articular. Na infância a fibromialgia tem sido descrita desde 1985 por Yunus & Masi, sendo que, desde então, diversos autores têm se interessado pelo tema.

Qual a Prevalência da Fibromialgia Juvenil?

As manifestações da fibromialgia tendem a ter início na vida adulta, no entanto 25% dos pacientes referem apresentar sintomas dolorosos desde a infância.

De fato, as queixas musculoesqueléticas são muito comuns na infância e adolescência. Em escolares a prevalência de dores musculoesqueléticas é de 1,2 a 7%, com idade média de 10 anos. Esse diagnóstico torna-se progressivamente mais freqüente com o aumento na faixa etária de 8 a 21 anos. A presença de dores em alguma parte do corpo nos últimos três meses ocorre em 70% das crianças, ao menos uma vez por mês, em 32%, ao menos uma vez por semana, sendo mais rara a queixa de dor diária. Um levantamento mexicano observou que 1/3 de crianças pré-escolares apresenta queixas dolorosas musculoesqueléticas e 1,3% destas preenchem critérios para fibromialgia.

Em ambulatórios de Reumatologia Pediátrica a freqüência de dores musculoesqueléticas pode chegar a 55% dos atendimentos. Um estudo realizado por um período de 8 anos, com 81 adolescentes atendidos ambulatorialmente, demonstrou que 50% destes apresentavam dores difusas e 50% dores localizadas. Dos que apresentavam dores difusas, 81% dos casos preenchiam critérios para fibromialgia, sendo que 10% dos pacientes com dores localizadas evoluíram com queixas dolorosas difusas.

Quanto ao sexo, a fibromialgia juvenil é mais freqüente em meninas, em torno de 75% dos casos. Por outro lado, um estudo de 60 atendimentos consecutivos de adolescentes do sexo feminino em um ambulatório de Reumatologia demonstrou que 32% das pacientes preenchiam critérios para fibromialgia.

As manifestações dolorosas crônicas tendem a agrupar-se em famílias ditas “dolorosas”. A presença das queixas dolorosas entre os membros de uma família e ao longo de gerações pode relacionar-se a mecanismos genéticos, ambientais ou comportamentais. Até já foi sugerida uma transmissão genética, no entanto estudos subseqüentes não confirmaram esta hipótese, demonstrando que a freqüência de fibromialgia em filhos de pacientes com fibromialgia é de apenas 28%. Inversamente, estudando crianças com fibromialgia, a probabilidade destas apresentarem mães com o mesmo diagnóstico é de 71%.

Parentes de pacientes com fibromialgia apresentam mais freqüentemente piora da qualidade de vida, grande número de pontos dolorosos e o diagnóstico de fibromialgia está presente em 25% destes. Deve-se considerar ainda que crianças com fibromialgia e seus pais apresentam maior freqüência de fadiga quando comparados a crianças com artrite reumatóide juvenil.

Por que a Fibromialgia Juvenil ocorre?

Apesar de não se saber o que causa a fibromialgia juvenil, diversos fatores estão envolvidos em suas manifestações, fazendo que a criança fique mais sensível frente a processos dolorosos, a esforços repetitivos, à artrite crônica, a situações estressantes como cirurgias ou traumas, processos infecciosos e distúrbios psicológicos Acredita-se que exista uma interação de fatores genéticos, neuroendócrinos, psicológicos e distúrbios do sono predispondo o indivíduo à fibromialgia.

Como se manifesta a Fibromialgia?

O diagnóstico de fibromialgia baseia-se na pesquisa de pontos de dor de acordo com o que é padronizado pelo Colégio Americano de Reumatologia desde 1990. Assim, é necessária a presença de queixas dolorosas musculoesqueléticas difusas, na vigência de 11 dos 18 pontos padronizados, que são pesquisados por meio de digitopressão. Os pontos dolorosos correspondem a inserções de tendões ao osso ou a músculos.

A dificuldade em se avaliar as queixas dolorosas em crianças ocorre devido à certa disparidade entre as queixas da criança e o que é referido pelos pais. Soma-se a isso a credibilidade da informação obtida da criança. Portanto, a pesquisa dos pontos de dor deve ser feita de forma cautelosa e, às vezes, torna-se necessária mais de uma consulta, em intervalos de tempo de uma semana a um mês para a confirmação dos achados. Quanto mais nova a criança, mais difícil se torna firmar o diagnóstico de fibromialgia.

Além disso, comparando-se crianças com fibromialgia e com artrite reumatóide juvenil, as com fibromialgia apresentam maior fadiga, queixas dolorosas mais proeminentes e maior número de pontos dolorosos. Assim como no adulto, na fibromialgia juvenil queixas de sono não restaurador, ansiedade, cefaléia, parestesias e sensação subjetiva de edema de extremidades estão presentes. Nos casos de síndrome da fadiga crônica descritos em crianças, quase 30% dos pacientes preenchem critérios para fibromialgia.

Na fibromialgia primária não foram observadas alterações nas provas laboratoriais, exame radiológico, eletromiográfico ou histopatológico. A polissonografia pode apresentar alterações como a redução da quantidade do sono de ondas lentas ou a intrusão de ondas alfa nesses estágios do sono onde predominam as ondas delta e aumento no número de despertares.

O diagnóstico de fibromialgia não exclui a presença de outras doenças, como a artrite crônica juvenil, hipermobilidade ou a associação com o hipotireoidismo, tendo sido descritos casos em zonas endêmicas para a doença de Lyme, que é causada pela mordedura de carrapatos.

A hipermobilidade e as dores musculoesqueléticas são freqüentes em pré-adolescentes, mas a primeira não parece ser um fator determinante para as manifestações dolorosas. Da mesma forma a associação entre fibromialgia e hipermobilidade é controversa, sendo necessários estudos a longo prazo.

Apesar de estar muitas vezes associada a distúrbios emocionais, a fibromialgia não é uma condição psicogênica. Crianças com fibromialgia orientadas quanto à forma de lidar com a sua sintomatologia não apresentam diferença significante no ajustamento psicológico e relacionamento familiar quando comparadas a outras crianças. Por outro lado, as dificuldades familiares e a vida estressante podem estar presentes na história de crianças com condições dolorosas crônicas sem que uma relação causa-efeito possa ser estabelecida.

Como é o Tratamento da Fibromialgia Juvenil?

Com o objetivo principal de motivar a volta às atividades e a promover a reintegração social, o tratamento da fibromialgia juvenil deve abranger o uso de medicamentos, reabilitação, abordagem psicossocial e orientação dos pais. A participação da criança ou adolescente é importante para o sucesso do tratamento.

Estratégias para lidar com os sintomas dolorosos têm se mostrado eficazes, como a terapia cognitiva , que promove relaxamento muscular, redução da dor, melhora do sono e do humor.

Com base nos estudos sobre fibromialgia no adulto, exercícios aeróbicos de baixo impacto apresentam efeito benéfico, independente das outras modalidades terapêuticas empregadas.

Poucos são os estudos quanto ao uso de medicamentos na fibromialgia juvenil. Foi descrito o uso de ciclobenzaprina, eficaz em 73% dos casos e de amitriptilina, 0.5 mg/kg em casos esporádicos.

O que vai acontecer com crianças que apresentam Fibromialgia Juvenil?

Em adultos as manifestações da fibromialgia se mantêm ao longo dos anos, no entanto, em crianças o futuro parece ser mais favorável. O acompanhamento de 15 crianças em idade escolar durante 30 meses mostrou que 73% melhoraram dos sintomas de dor, mesmo sem o uso de medicamentos. Outro estudo, de 37 crianças com dores musculoesqueléticas durante um período de 9 anos, mostrou que 40% não mais apresentavam as queixas dolorosas após um período médio de 2 anos. Os fatores determinantes para o tipo de evolução que a fibromialgia juvenil irá apresentar são a duração da história de dor, a freqüência de queixas difusas e o ambiente familiar.

A fibromialgia juvenil leva à incapacidade funcional da mesma forma que outras doenças reumatológicas da infância. A limitação causada pela fibromialgia é função do ajuste psicológico e condicionamento físico da criança ou adolescente, bem como da sua capacidade em lidar com os sintomas dolorosos.

As dores musculoesqueléticas na infância e adolescência constituem uma entidade complexa, com múltiplas etiologias.

Acometem 4,2 a 15,5% das crianças e correspondem a 7% dos casos atendidos no ambulatório de pediatria geral, freqüência esta semelhante à verificada para as dores abdominais recorrentes e cefaléia. Nos serviços de reumatologia pediátrica 26% dos casos atendidos referem dores musculares e articulares indefinidas; o diagnóstico de fibromialgia é possível de ser feito em 55 a 88% das crianças que apresentem dores musculoesqueléticas difusas.

O primeiro estudo controlado prospectivo sobre a fibromialgia juvenil foi realizado em 1985, quando foram acompanhadas 33 crianças por um período de três anos.

A idade de início dos sintomas variou de 5 a 17 anos, com maior freqüência no sexo feminino (84% dos casos), predominando em meninas adolescentes (entre 13 e 15 anos) com manifestações dolorosas, musculoesqueléticas difusas ou localizadas. A duração das queixas foi de 3 a 122 meses, em média de 30 meses, influenciadas por fatores moduladores, com piora das queixas, em especial, com o clima frio, úmido e com a sobrecarga física. Os autores observaram grande freqüência de dores musculoesqueléticas (97%), rigidez muscular (79%), sono não restaurador (100%), fadiga matinal (91%) e ansiedade (70%). Os tender points, ou seja, os pontos dolorosos, foram observados, mais freqüentemente, na região cervical, seguindo-se a interlinha medial dos joelhos e o epicôndilo lateral. Em comparação com a população adulta previamente estudada pelos autores, foram mais comuns nas crianças a presença de sensação subjetiva de edema, dor em tornozelos e piora dos sintomas com esforço físico.

Queixas relacionadas com distúrbios do sono ocorrem em 62 a 75% dos pacientes com fibromialgia, em comparação com 9% dos indivíduos saudáveis e até 38% nos pacientes portadores de artrites crônicas. Na população pediátrica, 67 a 73% das crianças fibromiálgicas referem dormir mal e 100% referem fadiga ao despertar, indicando padrão de sono não restaurador. (Rev. Bras. Reumatol. 1997; 37: 271-273).

Fonte: Revista de Atualização Médica RAM
15 de outubro de 1999 n
° 6 ano 1

O que é a Lei da Atração?

 

A Lei da atração é mais uma lei do Universo, a mais bela e sublime dentre todas que regem nossas vidas. Talvez um dia esse novo enigma possa ser decifrado finalmente pela ciência, como foram decifrados tantos outros mistérios do Universo como a Lei da Gravidade, a Teoria da Relatividade e a Lei da Ação e Reação. Todas teorias impensáveis e inimagináveis num certo momento da história e que de imediato não surtiram grandes efeitos, mas décadas depois se tornariam a base de nosso desenvolvimento e de nossa sociedade como um todo. A Revolução Industrial (Séc. XVII), em seguida a evolução tecnológica e agora mais recentemente a revolução nas comunicações, não existiriam da forma que conhecemos hoje se não fossem esses físicos e matemáticos brilhantes. A física do novo milênio, ou seja, a Física Quântica evidenciará essa descoberta e mostrará que não é possível se ter um Universo com a mente separada dele.

A Lei da Atração é uma lei que existe. Não é porque não podemos vê-la que não podemos acreditar. Não importa se você saiba ou não da sua existência, de uma maneira ou de outra ela estará agindo em sua vida. Não é porque não a conhece direito que não possa usufruir suas propriedades maravilhosas.

A Lei da Atração é um segredo que poucos desvendaram até hoje e o guardaram para si, por ser muito valioso. Está a sua disposição e poderá mudar sua vida se realmente perceber o poder que ela pode lhe proporcionar.

Nós, seres humanos somos privilegiados, somos os únicos seres vivos do Planeta que possui o dom de pensar, criar e desejar. Temos a capacidade de imaginar nossos sonhos e projetar uma realidade para o futuro. Temos o dom de sentir, de nos apaixonar, de amar e muito mais. Temos o dom de atrair tudo o que queremos para nossas vidas, esse é o verdadeiro presente que recebemos quando nascemos. Um presente incrível capaz de transformar e modificar as pessoas e tudo ao seu redor. Além do poder de atrair, possuímos o poder de acreditar.

O que é a Lei da Atração Universal?

A lei da atração é uma regra do universo que indica que os semelhantes se atraem. Embora o dito
popular diga o contrário, nós podemos constatar que a realidade é diferente.
Já olhou ao seu redor? Veja quem são seus amigos. Eles são totalmente diferentes de você? Garanto
que não.
As pessoas que estão ao seu lado não são iguais a você, porém tenho certeza que você tem mais
coisas em comum com elas do que diferenças.
É simples perceber isso, você é do tipo de pessoa que só reclama da vida? Se você é assim, com
certeza você tem muitos amigos que fazem a mesma coisa. Não é coincidência, você atraiu eles para
você, com a ajuda dessa lei infalível.
Tudo em sua vida e nas vidas dos que estão ao seu redor é afetado pela Lei da Atração. A Lei da
Atração diz: os semelhantes se atraem.
Sem exceção, aquilo para o qual você dá seu pensamento é aquilo que você começa a convidar para
dentro de sua experiência.
Tudo que existe nesse Universo é energia, do maior até o menor objetivo seja ele orgânico ou
inorgânico, tudo é formado de energia.
E toda energia tem uma vibração! Tudo vibra em determinada frequência.
Essa lei age sem nossa permissão, em todos momentos da nossa vida, as vibrações de quem somos e
nossos desejos emanam para o universo, e isso é devolvido para nós em ondas eletromagnéticas.
Tudo que existe, no Universo, é energia que vibra em uma determinada frequência. Tudo é energia e
a energia jamais pode ser destruída.
O Universo e a realidade são formados, puramente, por energia e esta energia se manifesta como
onda.
Você atrai para a sua vida qualquer coisa à qual dedica atenção, concentração e energia, seja em
termos positivos ou negativos.
O primeiro passo para a lei da atração funcionar é esquecer a palavra “NÃO” dos seus pensamentos
e focar no que você realmente quer que aconteça.
Por exemplo: ao invés de pensar “eu não consigo realizar alguma tarefa”, comece a pensar que você
“tem capacidade e vai conseguir realizar todas as tarefas sem problemas”.
Entendeu como funciona? Esse é um exemplo simples, mas que é capaz de começar a transformar a
sua vida agora mesmo!

Por que a lei da atração não funciona comigo?

Uma das possíveis respostas para o questionamento do por que a lei da atração não funciona
comigo pode ser o mal desempenho de sua parte.
Para conseguir ser uma pessoa sucedida em qualquer prática em sua vida, é preciso trabalhar esses
fatores e fazer com que as coisas fluam em um sentido favorável.
Há uma grande diferença em deixar que as coisas se encaminhem para um destino de sucesso e ser
uma pessoa bitolada em um assunto.
É preciso sim que exista um espaço, uma tranquilidade e, em alguns momentos, o esquecimento do
objetivo, para que as coisas possam acontecer naturalmente.
Mas, isso não significa que você deva deixar tudo na mão do acaso e esperar sentado para que as
coisas aconteçam em sua vida.
É preciso ir atrás, procurar formas de fazer com que a realização se torne possível e viável.
Se quer aumentar o número de suas vendas, por exemplo, será necessário fazer investimentos para
conseguir anunciá-los e produzir algo com mais qualidade.

Suas metas não são claras

É muito comum que as pessoas se perguntem o por que a lei da atração não funciona comigo, sem
sequer ter ideia de quais são os seus objetivos.
A maioria das pessoas não conhece muito bem quais são as metas, grande parte sequer tem metas.
Vão apenas vivendo e esperando que as coisas aconteçam magicamente em suas vidas.
É preciso se planejar, ter em mente qual o seu objetivo a curto e longo prazo. Com isso, é possível
ter uma ideia mais clara sobre quais atitudes podem viabilizar essas realizações.
A lei não pede permissão para agir
Quando falamos de leis, nos remetemos a regras que foram estabelecidas, mas essa é uma das leis
da física, assim como a lei da gravidade, está fora do nosso controle. Ela age sem pedir a nossa
permissão.
Entretanto, nós que emanamos as energias que movimentam os acontecimentos, se a nossas
energias são positivas, elas vão saltar do nosso corpo e atrair coisas positivas, mas o contrário
também é verdade, energia negativa, resposta negativa.
Entender isso é fundamental para que você saiba como usar essa lei a seu favor. Para os mais
céticos, existe uma explicação científica para isso.
O universo é formado por átomos que emitem uma onda eletromagnética.
É essa onda que aproxima ou afasta aquilo que nós queremos para a nossa vida. Interessante não?
Então podemos dizer que as coisas podem acontecer se nós acreditarmos, de verdade nelas.

As vibrações

Vamos analisar o que acontece em um jogo de futebol. Existe um consenso nesse esporte que diz
que jogar em casa é uma vantagem. Por quê? Se procurarmos uma explicação puramente lógica, não
vamos entender.
O campo é o mesmo, as condições são as mesmas que jogando fora de casa, porque existe essa tal
vantagem?
É nesse momento que encontramos um dos melhores exemplos para explicar a força das vibrações,
representada nesse caso pela força da torcida.
Essa é a única diferença de jogar em casa, ter ao seu lado 40, 50 mil pessoas com um único
pensamento, a vitória.
E podemos ver que essa vibração faz a diferença na maioria das vezes, quando não, sabemos que a
sintonia não estava perfeita entre time e torcida.
Você é o seu torcedor número um
O exemplo do futebol é marcante para mostrar como a lei da atração funciona.
Você precisa fazer com que as vibrações positivas, da vitória certa, estejam alinhadas com os seus
desejos.
Você é a sua torcida, que deve vibrar, incentivar, gritar, no momento que você entra em campo.
E pense, se você tem essa vibração, essa torcida por você mesmo, é inevitável que você atrair muitos
torcedores para o seu lado.
É aí que a atração aumenta e você começa a potencializar a lei da atração para que as vozes que te
incentivam a conseguir a vitória, cresçam cada vez mais, sempre na mesma sintonia.
Parece simples atrair as coisas boas para nós, mas não é.
Quantas pessoas tem coragem de serem vendadas e levadas por aí por um desconhecido sem saber
para onde vai? Acho que nenhuma.
Esse é o grande ponto, nós não conseguimos confiar naquilo que não conhecemos. Tenho certeza
que você que está lendo esse pdf, está questionando muito essa teoria.
Para acreditar no que não conhecemos, naquilo que não podemos tocar, precisamos sentir.
A natureza tem um exemplo muito bom sobre isso, o vento. Ele está por aí, não podemos ver, mas
ele passa, é nós conseguimos sentir a presença dele, logo ele existe.
Sentir é o grande segredo para tornar realidade o que sonhamos.
Encontrar o ponto entre acreditar e sentir que aquilo será tangível é o grande segredo da lei da
atração.

Como fazer a lei atrair o que queremos

O pensamento, ele é o que comanda as nossas vidas. Experimente fazer a seguinte experiência.
Levante pela manhã, ouça uma música inspiradora, depois mentalize o que seria interessante
acontecer nesse eu dia.
Comece com algo simples, como encontrar um velho amigo, ou resolver uma pendência
sentimental.
Mas não acredite apenas, sinta que isso vai se realizar, como se fosse apenas questão de tempo.
É uma realidade da sua mente que logo se tornara algo físico. Talvez nada aconteça no primeiro dia,
mas se você começar não apenas a acreditar, mas a sentir que isso é real, em pouco tempo o
universo vai agir a seu favor.

Acreditar

Ter fé em suas práticas é fundamental para conseguir alcançar as metas.
Em uma entrevista de emprego, por exemplo, por mais que um candidato seja extremamente qualificado, a sua falta de crença na capacidade de exercer uma determinada função ou insegurança em meio aos outros candidatos pode ser determinante para uma negativa do recrutador.
Nas outras atividades da vida, as coisas costumam funcionar da mesma forma.
Uma pessoa que acredita tem condição mental confortável e adequada para focar, planejar e alcançar os seus objetivos.
O estresse, a ansiedade e a insegurança podem acabar nublando a visão de vida das pessoas e fazê-las perder grandes oportunidades.

Sentir é o grande segredo

O sentimento é o ponto gatilho para a lei da atração funcionar. O pensamento controla tudo o que acontece na nossa mente e é dentro dela que começamos a maturar o que desejamos para a nossa realidade.
Se a ideia vem de dentro, é obvio que devemos ter em mente o que queremos para que isso se torne algo apalpável.
O conceito é imaginar dentro da nossa cabeça, que o que queremos vai acontecer.
Acredite isso realmente dá certo. Somos movidos a energia, seja ela positiva ou negativa. Cabe a nós determinar qual desses sentimentos nós queremos atrair.

Não pare de sentir

Se o sentimento é a chave do negócio, não pare de sentir, nem por um segundo.
Para que o seu desejo se realize, você precisa trabalhar o seu subconsciente com o objetivo que ele compreenda que o seu desejo já está realizado, que a materialização dele é apenas um detalhe que vai se alinhar com o tempo.
Por isso, comece a imaginar, sim, imagine a sua situação. Se você quer muito um novo emprego, relaxe e comece a imaginar como seria, trabalhar para ganhar mais? Ter um emprego que lhe traga prazer? Comece a idealizar dentro da mente a situação.
E não pare, até você sentir que isso é real. Quando você sentir que o seu sonho não é mais um sonho, mas sim uma doce realidade, você estará a um passo de ver as coisas acontecerem. E elas acontecem.

Não é algo sobrenatural

Como acabamos de ver, o sentir faz toda a diferença, mas não ache que é algo sobrenatural.
Se você tem fé, as coisas acabam acontecendo. Eu acredito que Deus nos deu o livre arbítrio, e Ele segue aquilo que mentalizamos que atraímos para nós.
Mas Ele não fará simplesmente uma mágica e as coisas se transformarão, não é isso. A questão é outra.
Se você começar a emanar essa carga positiva, vai começar a atrair a mesma coisa para você.
Aí vai ser aquele momento que as coisas começam a se atrair. Você quer um emprego novo, tudo bem.
Já está com a mente focada e acreditando que isso já deu certo. Pode ter certeza que o universo vai te pregar uma peça boa.
Talvez, em uma ida a uma lanchonete, você esbarre em uma pessoa e de repente veja que é aquele seu colega antigo da faculdade.
Em meio as conversas, ele pergunta sobre a sua carreira, se deu certo e você conta a sua situação.
Então ele fala que está juntando uma nova equipe e vai precisar de pessoas para isso. Bingo! É o seu desejo se realizando.
É assim que as coisas acontecem. Não é nada de outro mundo, são coisas que você atrai, através do que você acredita.

Os momentos cruciais

Esses são os momentos que vão te colocar de frente para a realização do seu sonho.
É aquela hora que você fica diante do seu desejo de consumo. Essa é a hora de dar aquela última impulsionada nas ideias.
Você vai saber que chegou o momento, então esvazie a sua mente.
Vá nas suas melhores lembranças, lembre-se daquele dia que pode ser considerado o melhor dia da sua vida.
Todos nós já tivemos ao menos um dia nas nossas vidas que falamos que se acabasse o mundo agora, nós estaríamos satisfeitos.
Lembrou? Pois bem, reviva-o. De maneira intensa, lembrando de cada detalhe, da roupa que você estava usando; do perfume que você passou antes de sair; das risadas que você deu e quase caiu da cadeira. Junte tudo isso e descarregue nesse seu momento atual.
O sucesso vai ser garantido, isso se você conseguir sentir, não apenas acreditar.

O que pode ser um empecilho para a lei da atração

Primeiro lhes digo que se você não está acreditando no que está lendo aqui, você com certeza já se frustrou muito na vida.
A fé, o benefício da dúvida, é o passo principal para que as coisas aconteçam.
Não é difícil contestar a lei da atração.
Quem não vê resultados imediatos já se entrega e a vida da pessoa fica na mesma, gerando a falta de fé, jogando a responsabilidade para Deus, o destino e o universo. Mas sabemos que não é isso.
Quem não acredita que as coisas podem ser mais fáceis e que tudo é possível vem com esse pensamento da sua vivência, do modo que a pessoa foi criada, suas crenças, que formaram o seu modo de pensar.
Se isso se fez de forma negativa, a mente fica trancafiada em uma linha de pensamento que não conhece outras possibilidades, a não ser a do fracasso.
É por essa razão que as coisas não acontecem, enquanto nós não aprendermos a confiar em nossos sentimentos e pensamentos sobre aquilo que nós desejamos para as nossas vidas, nós não vamos conseguir fazer a li da atração agir ao nosso favor.

Melhores Dicas Para Manifestar A Lei Da Atração Em Sua Vida!

#Dica 1- Seu subconsciente dá forma aos seus desejos só quando você sente seu desejo realizado. Você deve sempre sentir o desejo de já realizado antes de ir dormir.

#Dica 2- Qual a melhor coisa que me aconteceu no dia de hoje?(faça essa pergunta antes de dormir) Essa simples pergunta te faz relembrar seus melhores momentos do dia e você com certeza vai dormir se sentindo um campeão.

#Dica 3- O sentimento que vem em resposta à pergunta “Como eu me sentiria se o meu desejo fosse cumprido?” é o sentimento que deveria monopolizar e imobilizar sua atenção enquanto você relaxar para dormir.

#Dica 4- Você deve ter a consciência de ser ou ter o que você quer ser ou ter antes que você durma.

#Dica 5- O processo criativo é: primeiro imaginar e depois acreditar no estado imaginado.

#Dica 6- A oração, bem como o sono é também uma entrada para o subconsciente “o que pedires acreditando que já recebeste, o terás”.

#Dica 7- Você precisa também aprender a ter fé, negue seus sentidos e veja com sua mente! Os resultados serão impressionantes! Persista!

#Dica 8- Antes de dormir procure pensar em coisas boas, pense em seus desejos já realizados.

#Dica 9- Uma mudança no sentimento é uma mudança no destino.

#Dica 10- Não abrigue o sentimento de remorso ou fracasso porque a frustração ou desprendimento de seu objetivo resulta na doença.

#Dica 11- Eu sou saudável é um sentimento mais forte que serei saudável. Sentir que serei é confessar que não sou; eu sou é mais forte que eu não sou.

#Dica 12- Você deve tomar consciência de que o seu sentimento emanado vai atrair mais daquilo que você sente para sua vida.

As Técnicas de lei da atração

A lei da atração consegue fazer com que as pessoas alcancem os seus objetivos de vida.
Isso porque tornam todo o caminho até chegar ao destino mais simplificado, abrindo novos atalhos e possibilitando que sejam trilhados com sucesso.
E para conseguir ser uma pessoa bem-sucedida, é preciso ter em mente algumas técnicas de lei de atração.
Depois da popularização do romance O Segredo, muitas pessoas passaram a conhecer a prática.
Enquanto alguns têm dificuldade em acreditar na eficiência do processo, outros se dedicam a tornar as suas vidas naquilo que sempre desejaram.

Mas, por que será que funciona apenas para algumas pessoas e não todas?

Há diversos fatores que podem fazer com que as pessoas não encontrem o sucesso desejado nessa prática.
Há aqueles que não se entregam realmente a causa, dizem acreditar em si mesmas da boca para
fora; não conhecem bem as suas próprias capacidades; pensam que pode ser algo feito em período curto de tempo, algo passageiro; etc.
Porém, a aplicação da lei da atração em sua vida consiste em algo muito maior do que um conjunto de elementos que pode aplicado a qualquer momento.
Quando falamos de tal prática, falamos também de um novo estilo de vida, fazer a positividade e da crença em suas capacidades uma virtude, uma ação recorrente.
Existem técnicas de lei da atração que ajudam as pessoas a efetivamente conseguirem ter sucesso em seus objetivos. Mas, para isso, é preciso introduzir tal prática em seus hábitos.

Sentimento

Acreditar não é uma ação ligada a capacidade intelectual das pessoas, não é algo inerente a mente.
Para acreditar de forma efetiva que conseguirá alcançar um objetivo, as pessoas devem sentir tal estímulo.
O sentimento de confiança faz com que elas estejam seguras de sua capacidade e, assim, consigam enfrentar desafios quando for preciso.
Uma das técnicas de lei da atração para sentir com intensidade é focar o objetivo, mas,
principalmente, compreender quais são os pontos positivos que resultarão ao alcançar esse estágio.
Vislumbrar mudanças importantes na vida é algo determinante ao buscar coisas novas.

Seja grato

Praticar a gratidão é algo fundamental para as pessoas que desejam resultados positivos em sua vida.
Pois, quando as pessoas demonstram a sua gratidão, de diferentes maneiras, exalam uma
substância chamada dopamina.
O resultado disso é uma sensação enorme de bem-estar, aumentando a segurança pessoa e autoestima da pessoa.
Isso faz com que as pessoas tenham mais vibração positiva e adquiram maior atração pela
prosperidade.
O importante nesse processo é reciprocidade, enquanto você emana prosperidade para quem está a sua volta, recebe tudo de volta.
Não é precisar ir longe para compreender o que merece gratidão. Você, certamente, tem motivos para ser grato: família, trabalho, estudos, amigos, etc.

Relaxando

Relaxar é uma das técnicas de lei da atração mais eficientes para uma pessoa que deseja alcançar os seus objetivos.
É uma forma de unir melhores condições mentais para o alcance de metas, fugir do estresse e ansiedade.
Diferentes ações podem garantir esse relaxamento nas pessoas: músicas, livros, filmes, cochilos, exercício, lazer, etc.

Basta encontrar qual funciona com você.

Comportamento Reativo

Somos todos seres divinos, com a Luz de Deus nos alimentando e sustentando.

Então porque em diversas situações nos perdemos? Sentimos dificuldades diárias em resolver nossas questões pessoais?

Analisando nosso comportamento, em algumas ocasiões não reagimos bem, nos desentendemos com as questões e com as pessoas que estão envolvidas. Brigamos com o mundo.

Nos dizem que nós trazemos para nós as experiências que necessitamos para aprender, para nos equilibrar, para nos tornarmos mais harmoniosos com o mundo e com quem nele habita.

Mas algumas vezes sabemos que da maneira como respondemos ao estímulo ainda não é a melhor, e nos sentimos mal, mas não entendemos como seria “a resposta adequada”.

Temos comportamentos padrões pessoais nossos, os quais nos fazem responder de determinada maneira a algo que nos acontece, sendo algo que nos agrada ou nos desagrada. Quando nascemos somos “vazios”, mas já mantemos uma tendência pessoal de alma, uma “personalidade” que nos identifica e nos diferencia dos demais e a ela são somadas mais a maneira que fomos criados, os moldes que nos passaram de certo ou errado e ainda e principalmente as experiências pessoais.

Vamos adquirindo “experiências” de acordo com os fatos que vão ocorrendo em nossa vida: fogo queima, abraço é bom (mas em determinadas circunstâncias e pessoas, nem tanto) etc. Vamos juntando nossas conclusões em um “arquivo” pessoal. Mais quando realizamos uma reorganização e limpeza neste arquivo? Quando vemos o que está ali registrado e que aquilo não nos serve mais?.

Aliás, para que mesmo serve o arquivo?.

O arquivo serviria para consultarmos nossas experiências passadas e ver como reagir em uma nova experiência que é “semelhante” a antiga. Seria uma maneira “garantida” de não errar mais… de dizermos que temos experiência naquilo e que já sabemos como aquilo se resolve em nossa vida.

Nos é dito que o que se repete em nossa vida é o que ainda não aprendemos, ou que devemos aprender em uma outra oitava… Por que algo que já aprendemos iria de repetir em nossa vida então? E neste caso, de que serviria uma consulta a algo que não foi a nossa “melhor resposta”? Tomaríamos por base algo que não foi ainda nosso melhor…

Respondemos com nossa “experiência” em diversas situações, mas não percebemos que usamos como base velhas situações que passamos, dores antigas, relacionamentos furados, amargores… não há lógica em utilizarmos velhos sentimentos, para nos relacionarmos com pessoas novas, situações novas, que inclusive estão em tempo e espaço diferentes. São pessoas diferentes, relações diferenciadas e lá vamos nós, respondendo da maneira antiga, a que conhecemos e sacamos para interagir com o novo…

Fazemos sem perceber… se quebramos uma perna, e temos já essa experiência registrada em nossa vida, respondemos prontamente como profundos conhecedores do assunto “a minha perna quebrada”. Dizemos que já sabemos das dores que vamos passar, o que vai acontecer e reagimos como se esse novo episódio fosse o mesmo… como se não tivesse ocorrido em tempo diferente, com pessoas diferentes, com o corpo emocional e mental em outra faixa vibratória. Não percebemos que mudamos de uma semana para outra? Como podemos reagir da mesma forma a coisas que têm apenas uma semelhança?.

Na verdade: REAGIMOS.

O Rabino Yehuda Berg, em seu livro “Os 72 nomes de Deus – Tecnologia para a Alma”, nos esclarece sobre o comportamento proativo: “primeiramente é um refrear dos impulsos reativos, porque não existe maneira de termos consciência da existência de Deus – para não falar em uma consciência semelhante à de Deus – a não ser dando um passo para trás. Sem este comportamento proativo… a mais poderosa de todas as tecnologias não pode funcionar para nós. A qualquer hora que lhe parecer que de repente a desgraça recaiu sobre você, dê um passo para trás. Isso não significa a aceitação das circunstâncias – se alguém lhe dá um tapa na cara, você pode devolver o tapa –, mas definitivamente significa um nível de consciência acima da mera reatividade.

… Esteja consciente de que seu estado normal de ser no mundo físico é a consciência reativa. Estamos sempre sendo chamados para jogar o jogo do ego. Com o ego em ação, ficamos numa situação em que perdemos de qualquer maneira. Se estamos preocupados em vencer, isto é ego. Se estamos receosos de perder, isto também é ego.

… A consciência é o poder por trás de toda a ação e evento do mundo físico. Seja o simples ato de erguer seu braço ou a cura espontânea de uma doença que traz risco de morte, o processo começa na consciência.”.

Em nossa vida acostumamos apenas a reagir às coisas que nos acontecem. E pior, reagimos como se todas as coisas que são semelhantes, que têm um “fundo” parecido com outra experiência que tivemos, fosse uma coisa só ou a mesma coisa. Temos um comportamento “reativo”.

Como responder de uma maneira melhor? Não estando se defendendo ou acusando – reagindo -. Perceber que não temos que reagir às coisas que nos acontecem diariamente. Se reagirmos não temos controle de nós mesmos, entramos na energia de quem nos provoca e perdemos a mão da situação, de nossa vida, de nossos sentimentos. É como se as situações da vida nos cutucassem e nós, como animais, reagíssemos a elas, inconscientemente. Temos “um pavio curto”.

Acontece quando brigamos com nosso Chefe, com nosso companheiro, com nosso vizinho… respondemos, reagimos às provocações. Quando um não quer dois não brigam… se um não reage, não há atrito. É um “não entrar” nos estímulos externos e nos mantermos em nós mesmos. Se não temos um comportamento reativo, passamos a ter um comportamento “proativo”. Algo a nosso favor, positivo, nos mantermos em nós.

É “dar um passo da trás”, dentro de nós mesmos, e sair do jogo externo. Ficarmos na nossa luz, na nossa tranquilidade, na nossa paz. Cada vez que tentamos esse “calar” mais fácil ele se faz e mais entendemos como “funciona” essa libertação e não ter que entrar no jogo externo. Passamos a ter consciência de quando estamos “sendo vividos” por nossas emoções e muitas vezes pelas emoções dos outros e não aceitamos mais fazer parte do “jogo”.

Temos uma escolha. Precisamos ver se essa escolha consciente nos interessa, pois nos é muito mais fácil continuar no padrão que estamos acostumados, com desculpas de que “o outro” nos perturba e que apenas somos vítimas do que nos acontece. Ou seja, “reagindo” às coisas que a vida nos impõe.

Por certo que não temos controle do que nos é apresentado. Não adianta tentarmos esse controle… luta inglória. Mas podemos escolher sermos “mestres” de nosso viver. Fazermos escolhas. Não dar um passo à frente para a luta e sim um passo atrás, na nossa luz e consciência. E ficar. Não se mesclar. Silenciar. Paz.

Segundo Dalai Lama: “A raiva não pode ser dominada pela raiva. Se uma pessoa demonstra raiva por você e você responde com raiva o resultado é desastroso”.

É um romper com nossos padrões de luta. Não viver de maneira reativa. Passa perto do aceitar a vida como ela se apresenta e ter um comportamento somatório a nosso favor, não nos desgastando com desnecessidades ou com distrações que nos retiram de nosso caminho de Paz.

Autora: Eliana Matthos

As emoções fazem parte da sua história

É muito difícil enxergar um processo de cura que consiste entrar em contato com sua vulnerabilidade. Existe, dentro de todos nós, uma criança e muitas vezes a pessoa ainda não desenvolveu sua personalidade real; com isso sua individualidade fica baseada na força, no grito, na ignorância e no materialismo. Chegou a hora de se voltar para as próprias necessidades, emoções e sentimentos mais profundos.

Não é demais passar por um processo de cura no qual experimente certos sentimentos que sempre evitou. Você deve conviver bem com suas emoções, porém se preocupa e acaba sempre fugindo de alguns sentimentos. Acontece que o ser humano é composto de todo tipo de sentimento e não podemos fingir que alguns deles não existem. A vida é para ser vivida inteira e intensamente. Por isso, aquilo que não queremos experimentar cruza nossos caminhos justamente para que possamos passar pelos sentimentos que nos despertam para aprendermos e crescermos.

Talvez você precise de ajuda para perceber, assumir e relacionar-se de maneira serena com a própria vulnerabilidade. A vida lhe dá de presente um milagre a cada dia em lições, aprendizados para trazer de volta sua realidade espiritual.

Você vai viver fortes emoções e não deve se omitir com medo de viver grandes sentimentos. Então, não se esconda de um grande amor; mesmo que dure um dia, vale a pena vivê-lo, porque amanhã poderá ser tarde demais. Um lado seu, o seu íntimo, vai querer experimentar o amor na sua plenitude, mas o outro lado rejeita essa experiência maravilhosa pelo medo. Um lado quer intimidade e fusão, o outro quer autonomia, independência e liberdade.

Muitos têm esse medo de amar, principalmente se já sofreram alguma decepção; mas, ao mesmo tempo, querem se jogar de corpo e alma a novas emoções, mesmo que isso os deixe um pouco consumidos. No interior, porém, esses dois impulsos estão sempre em conflito. Um quer se entregar plenamente a uma relação, mas o outro lado, não.
Não aceite, de forma alguma, que aconteça isso, para não perder sua personalidade. Sabe o que pode fazer? Ficar mais leve com a vida, deixando mais por conta dela, levando-a com mais naturalidade; não deixe o emocional dizer que está com os pés no chão; coloque emoções na sua vida, a cada passo um pé fica no chão e o outro no ar. Os dois lados da moeda não ficam virados para o chão ao mesmo tempo.

Não tem como fugir da mente e do coração; quando a mente fica no chão, o coração fica ao vento, mas vão ter que se revezar para caminhar rumo ao aprimoramento, ao crescimento emocional. É a forma que há para conciliar as duas partes em choque dentro de você: deixar o vento universal soprar em seu coração e saber que tudo vai fazer parte da sua história.

Na verdade, o que acontece no exterior reflete fielmente o que se passa em seu interior. Você quer uma relação forte, mas não está totalmente aberta a ela.
Isso vale para quase tudo na vida: quando nosso interior está nebuloso, é recomendável analisarmos o que se passa do lado externo. Assim, tomamos consciência de muitas dificuldades internas, o que nos possibilita enfrentá-las.

Não deve tentar livrar-se de nada que faça parte de si mesmo, mas assumir integralmente o que é. O processo é lento, mas capaz de transformar sua vida.
É o caminho da cura, do encontro com a inteireza e com a realização. O processo de cura tem que se dar em todos os níveis: espiritual, mental, emocional e físico. Ao fazer um esforço harmonioso em sua vida, consegue assumir integralmente e encontrar seu equilíbrio se fazendo mais dinâmico.

É preciso que pratique regulamente alguma atividade espiritual. Isso ajuda você a se manter conectado ao seu Eu Superior. A prática espiritual pode ser exercida de várias formas. Escolha a que aparece a cada dia. Pode ouvir música, dançar, ler, escrever, meditar, orar ou qualquer outra coisa que lhe possibilite conexão com seu Eu Superior. Todos nós precisamos disso. Deve examinar atentamente suas crenças, de modo a abandonar aquelas que repete apenas porque foram ensinadas e as que não têm mais razão de ser. Nesse movimento, abra espaço para novas emoções capazes de ajudá-lo a continuar a escrever sua história.

A cura mais difícil para a maioria é por causa de nossa sociedade que tem a tendência a não valorizar e até negar as emoções. No entanto, se você quer sentir a vida é fundamental ser capaz de experimentar seus próprios sentimentos. Seja qual for o recurso utilizado, o importante é assumir suas próprias emoções, sendo apto a expressá-las e administrá-las da melhor maneira possível.

Cuide de seu corpo com carinho, ouça-o, conheça-o, descubra seu ritmo e características e dê o que ele precisa para ser saudável, flexível, o melhor dentro de suas possibilidades. Não exija demais dele seja simples, leve e amoroso e se lance às boas e bonitas emoções.

Autor:  Bernardino Nilton Nascimento

 

Os futuros domínios da Mente

  1. A psiquiatria é uma especialidade médica que faz fronteira com a neurologia, por um lado, e com a filosofia, por outro. Estivemos muito ocupados com seu conteúdo intrínseco, qual seja, o dos conflitos derivados de eventuais experiências traumáticas individuais, uma vez que a psicanálise foi o grande evento do século XX. Além de nos alertar para os dilemas pessoais, trouxe para o domínio da ciência algumas das grandes questões humanas, tais como o significado dos sonhos e a existência do inconsciente, os inexoráveis conflitos entre pais e filhos, a sexualidade e os problemas derivados da necessidade de repressão deste impulso para a viabilização da vida em sociedade, etc.

    Creio que estamos chegando perto do fim deste tipo de reflexão sobre nossa condição. Penso que os grandes conflitos existenciais, sempre tratados pela filosofia, tomarão vulto enorme, uma vez que nossos conflitos são ínfimos diante de temas como o do medo da morte, a insignificância cósmica da condição humana, o desamparo físico e metafísico que nos envolve, etc. A reflexão filosófica passará a ser o centro, enquanto que os eventuais conflitos individuais serão a periferia daquilo que será analisado em nossa subjetividade. Exatamente o oposto do que fazemos hoje.
    Por outro lado, os avanços da neurofisiologia e da farmacologia daí derivada nos trarão importantes reforços terapêuticos de natureza essencialmente orgânica. Não só os quadros depressivos e ansiosos poderão ser combatidos com eficiência crescente, mas também distúrbios de natureza alucinatória, delirante, e mesmo aqueles relacionados com a idade – entre os quais ressalta o prejuízo da memória. Cirurgias cerebrais para tratamento de sintomas específicos, relacionados não só com a epilepsia, serão realizadas com freqüência crescente. Ou seja, boa parte daquilo que hoje constitui a psiquiatria se bandeará na direção da neurologia.
    Não é o caso, porém, de superdimensionarmos estes dados de previsão. O grande mistério de como as células cerebrais são capazes de gerar isto que chamamos de pensamento ainda continuará sem desvendamento. A hipótese de que algo de imaterial – a alma – tenha nos penetrado e se exerça através do sistema nervoso continuará a ser aventada, pois é mais ou menos assim que nos percebemos: portadores de uma lado material e outro, o da mente pensante, que parece totalmente separado do corpo.

    2. Este setor aparentemente não material da nossa atividade cerebral, aquele que se compõe de percepções externas e internas que alimentam o pensamento, o raciocínio e a lógica, continuará a ser muito importante. Duas modificações são previsíveis: a primeira será no sentido de aprimoramento do rigor lógico, hoje muito descuidado. Isto é grave, pois tem gerado equívocos inadmissíveis causadores de grandes sofrimentos. Quando pensamos mal concluímos de modo errado e somos incapazes de levar adiante nossos projetos de vida. A eles se transferem nossos equívocos racionais.

    A outra modificação consistirá na crescente importância que assumirão os chamados fenômenos paranormais. Telepatia, premonição, materialização estão entre os processos psíquicos que indiscutivelmente existem, mas que não temos a menor idéia dos ingredientes nele contidos. Não creio que saberemos muito sobre eles nas próximas décadas. Porém, conseguiremos nos livrar dessa forma simplista de pensar, que é a de que só existem as coisas cuja explicação fomos capazes de nos apropriar. Assim sendo, conviveremos com estes fenômenos, que serão parte integrante de nossa vida cotidiana. Poderemos nos treinar para a comunicação telepática com aquelas pessoas que nos interessem, poderemos mudar objetos de lugar através da força do pensamento, poderemos levar mais a sério nossas previsões acerca do futuro. Tudo isto gerará novos e imprevisíveis avanços e trará também novas dores, novas disputas e talvez um novo tipo de poder; isto porque os “dons” paranormais não serão iguais entre os humanos.

    3. Nossa mente será povoada com lembranças de situações que efetivamente vivenciamos, com pensamentos lógicos que fomos capazes de construir e também com dados que nos chegaram pela via telepática. Chegarão vindos de outras mentes. Poderão ser mentes iguais às nossas. Mas poderão ser de seres que habitam outros planetas em outros sistemas estelares. É muito provável que existam seres extraterrenos e que venhamos a nos comunicar com eles em breve; e talvez isto se dê exatamente pela via telepática.

    Da mesma forma, não é impossível que sejamos capazes de nos comunicar com eventuais espíritos que porventura nos rodeiam. Não será fácil distinguir entre o que seja imaginação, telepatia com terrenos, telepatia com extraterrenos e telepatia com eventuais espíritos. É bem provável que o pensamento religioso sofra enormes modificações, de modo que serão pouco convincentes os textos místicos tradicionais. Deverão surgir novas doutrinas, que atrairão as grandes multidões. Elas estarão cada vez mais disponíveis para isso, uma vez que os novos processos psíquicos de natureza paranormal nos darão a impressão de estarmos, de novo, cercados por brutais mistérios e rodeados de magia e de espiritualidade.

    4. O reacender desta visão mágica e mística da vida trará consigo várias conseqüências. Uma delas será o fim da idéia de que o pensamento lógico é o único meio de chegarmos ao conhecimento – e este tipo de pensar, quando exercido será, como disse, mais rigoroso. Estará sendo reforçado o pensamento do tipo indutivo, mais rico e criativo do que a dedução. As artes florescerão depois de um longo período de aridez que já está em curso.

    Em decorrência deste tipo de visão mais religiosa da vida – e também em conseqüência dos processos ligados aos limites energéticos e ecológicos do planeta – nossa tendência materialista atual sofrerá radical reversão. As pessoas se aperceberão, de modo definitivo, que os bens materiais para além dos indispensáveis não são capazes de trazer os benefícios sugeridos. A corrida consumista acabará. Ser muito apegado aos bens materiais voltará a ser visto como coisa fútil e menor. É provável que uma visão mais clara das questões metafísicas e religiosas trará aos nossos espíritos um certo tipo de alívio e serenidade que desconhecemos.
    Desta forma, o trabalho também mudará de conotação. Deixará de ser visto como a maior virtude, como o que de melhor temos para fazer com nossa inteligência, agora entretida com telepatia e também com equipamentos eletrônicos cada vez mais sofisticados e interessantes. A automação diminuirá cada vez mais as oportunidades de trabalho no mundo concreto que nos cerca. É curioso prever que isto coincidirá com as alterações em nossa subjetividade que também trarão um menor apego do homem às coisas materiais e ao trabalho que é o veículo para sua aquisição.

    5. Muitos dos bens produzidos em decorrência dos recentes avanços tecnológicos são relacionados com o lazer. E mais do que isto, têm a ver com entretenimentos individuais, solitários. As crianças hoje já se ocupam mais com a televisão e com os computadores do que com as outras crianças – e mesmo com os pais. Este dado objetivo da nossa nova realidade é fundamental, pois finalmente nos permite uma visão individual do ser humano. Sempre nos vimos como uma parte de um todo maior. No amor romântico, éramos a “metade” da laranja. Sempre nos sentimos incompletos e isto nos impediu de nos reconhecermos como inteiros, como unidade. Aprendemos a conceber a salvação com algo que viria de fora, do outro; isto é, que o indivíduo não se resolve em si mesmo.
    Num primeiro instante este individualismo crescente apareceu como algo nefasto, como um subproduto negativo, como um alto preço que estávamos pagando pelo nosso progresso tecnológico. Com o passar das décadas, poderemos perceber que estávamos muito enganados. Perceberemos que o individualismo é, em primeiro lugar, nossa verdade maior. Isto nos levará a uma revisão definitiva do fenômeno amoroso tal como o conhecemos. A idéia de fusão de duas criaturas para formar a unidade romântica será facilmente relacionada com um anseio regressivo relacionado com nossa origem – fusão da mãe e seu feto. O amor adulto será respeitoso dos direitos e do modo de ser dos indivíduos. Será próximo do que hoje chamamos de amizade e será muito mais gratificante do que imaginamos.

    Perceberemos que o sexo é um fenômeno essencialmente individual e que as práticas que envolvem trocas de carícias não têm a importância que a ele atribuímos. Tornar-se-á um fato simples e será praticado entre criaturas de sexo oposto ou do mesmo sexo de acordo com os desejos de cada um. Será visto como algo totalmente isolado do amor, podendo – ou não – a ele se acoplar. A igualdade no modo de ser e de se comportar de homens e mulheres será inevitável, ressalvadas apenas as diferenças que são da biologia. Viveremos a igualdade possível para criaturas desiguais.
    A vaidade, ingrediente importante da nossa sexualidade que nos leva a desejar muito o destaque e o exibicionismo de todo o tipo, será melhor entendida, de modo que ficará essencialmente relacionada com nossas funções corpóreas. A vaidade intelectual, que tanto mal tem feito ao nosso modo de pensar, será desprezada e rejeitada como o pior dos males. O controle sobre essa vaidade nociva será outro ingrediente que, junto com a diminuição do materialismo, tenderá para conduzir as pessoas numa direção de menos disputa e mais companheirismo. Os prazeres intelectuais crescerão juntamente com a espiritualidade e o ressurgimento das artes. Será, porém, livre deste danoso ingrediente da vaidade.

    6. Talvez a mudança mais inesperada e radical que as décadas vindouras irão assistir seja aquela relacionada com o pensamento – e com a prática – moral. Vivemos sob o domínio de um modo de pensar que atribui à generosidade o papel de virtude, sendo o egoísmo o vício. Sabemos que a humanidade se divide essencialmente entre estes dois tipos, onde predomina uma ou outra destas posturas. A proporção das pessoas desta ou daquela forma é mais ou menos a mesma, distribuída igualmente entre os sexos. Egoístas se alimentam das dádivas dos generosos. Estes se sentem melhores e superiores por causa disso. Os primeiros se sentem espertos e um tanto humilhados com seu procedimento, que é típico das crianças ainda fracas e dependentes. Na realidade, compõe-se uma espécie de recíproca dependência, uma vez que os que se dispõem a dar mais do que recebem necessitam deste tipo de auto-afirmação. Alianças deste tipo se estabelecem no amor e também nas relações profissionais.

    Voltaremos a pensar, como Aristóteles o fez há 24 séculos, que a virtude está na temperança, no meio. Qualquer desvio, tanto na direção do excesso como de escassez daquela propriedade, será entendido como vício igual. Generosidade e egoísmo são, pois, vícios complementares. A virtude será o ponto de justiça. Só os justos serão vistos como portadores de um modo de ser equilibrado, onde não predomina nem a vaidade intelectual e nem as fraquezas operacionais. O desaparecimento dos generosos trará como conseqüência inevitável o fim dos egoístas; estes não terão a quem parasitar e tratarão de evoluir. Finalmente desaparecerá este duplo modo de se comportar e de pensar que hoje tanto nos confunde e nos impede de educar nossos filhos. Com qual modelo irão eles se identificar quando o pai é de um modo e a mãe do outro?
    Pessoas justas construirão famílias onde a justiça irá prevalecer, onde os privilégios indevidos não existirão. Pessoas justas construirão ambientes de trabalho onde não irão mais acontecer de uns fazerem a maior parte do esforço e outros levarem os louros e as glórias. Pessoas justas não se deixam explorar. Exigem direitos iguais aos que atribuem aos outros. Não querem mais e nem menos do que aquilo que merecem. Pessoas justas construirão sociedades mais justas, nas quais as diferenças de talento definirão privilégios para uns, mas não às custas da miséria dos menos dotados.

    Até aí o discurso parece o de um homem de bem sonhando com um mundo melhor, que poderá ou não ocorrer. O que me deixa fascinado é que acredito que isto irá acontecer mesmo que não seja este o desejo daqueles que nos governam; e mais, irá acontecer independente da vontade dos nossos intelectuais e pensadores. Acontecerá em virtude das alterações nos processos econômicos mundiais e será simultâneo, pois se dará ao mesmo tempo de todos os cantos do planeta. Acontecerá não por vontade dos humanistas e sim por causa dos desígnios das novas leis da economia.
    A “globalização” que estamos assistindo é processo irreversível. A competição entre empresas, países, modos de produção tenderá a crescer cada vez mais. O que acontecerá dentro das empresas? Elas terão que desenvolver um sistema de convívio interno extremamente competente e cooperativo para que possam se tornar competitivas em relação à concorrência. Ora, o desenvolvimento deste ambiente cooperativo só será possível se os participantes daquele grupo de trabalho forem justos. Se forem, como hoje, egoístas e generosos, viverão às turras, uns explorando e se sentindo pouco competentes para o trabalho efetivo enquanto que outros se sentirão competentes e mal reconhecidos pelos seus feitos. A recíproca rivalidade e inveja é responsável por tensões e competições internas que tornarão pouco competitivas as empresas assim constituídas e que necessitam de toda a energia para a disputa externa.

    As empresas terão que ser como times de futebol – ou de qualquer outro esporte – onde o interesse coletivo terá que prevalecer sobre os óbvios e fortes interesses individuais. As pessoas finalmente compreenderão que o seu sucesso depende mais do que tudo do sucesso do grupo. Com isto surgirá, por necessidade e não por ideologia ou convicção, a prazerosa sensação de solidariedade e cooperação. Serão sentimentos que tenderão a se estabelecer porque são muito agradáveis. As empresas demitirão aqueles que não se integrarem neste sistema cooperativo capaz de promover a máxima produtividade e fazer delas vitoriosas nas crescentes competições do mercado internacional. Os egoístas terão que se reformar sob pena de ficarem sem trabalho. Os generosos não poderão mais exercer suas peculiaridades porque não existirão pessoas diferentes deles no ambiente de trabalho.

    Aos poucos, e sem que nos apercebamos, todos teremos nos tornado pessoas justas. E isto acontecerá pelo caminho mais inesperado, qual seja, o do estabelecimento de um modo de vida de tal forma competitivo – derivado das novas regras da economia mundial – em que não poderemos mais sustentar a antiga divisão entre generosos e egoístas.

    Autor: Flávio Giokovate

Os benefícios da ativação do DNA

 

Existe uma forma de comunicação celular que liga a consciência de cada célula ao resto do corpo físico.

Estudos e experimentos feitos por cientistas da medicina, psicologia, metafísica e física quântica, que comprovam que de algum modo existe uma linguagem celular que permite que cada célula aja dentro de um seu objetivo específico.

Como seres Divinos que somos, na verdade somos também dotados de um poder que controla os nossos processos de cura e criação.

Quando reativamos o nosso DNA, o Espírito consegue se comunicar melhor conosco e é capaz de nos mostrar, a partir do nosso interior, os mistérios da existência.

Os novos cinco pares de filamentos – os novos 10 filamentos de DNA – interagem entre si e aumentam a comunicação de célula à célula, da mente à célula, da célula ao Espírito e do Espírito à célula.

Portanto, o Espírito consegue se comunicar melhor conosco através de um processo celular e nós somos capazes de perceber essa comunicação.

Estes filamentos são extremamente poderosos e podem corrigir instantaneamente o nosso relacionamento com o nosso Eu Superior e a Origem, e então conseguimos ser real e totalmente quem somos.

Hoje, nós somos seres numa busca interminável da perfeição, da saúde e do conhecimento da reprodução celular, da cura e da expansão do Corpo de Luz.

Através da Luz de uma frequência mais alta e que levamos de um certo modo para dentro do nosso corpo físico e que é diferente daquela que usamos normalmente, cada filamento é capaz de levar a vida humana ao nível do “Corpo de Luz”.

Quando nosso corpo físico ouve os “sons” do equilíbrio e da integração com o Eu Superior, nós passamos a criar energia Divina e sentir felicidade.

A ativação do DNA esclarece as verdades de cada ser, o destino pessoal de cada um, dá uma capacidade maior de autodomínio porque ajuda a encontrar e eliminar os bloqueios emocionais e traumas vitais.

Quando descobrimos quem somos e quais são realmente os nossos poderes Divinos, aí então podemos dizer que somos livres pois temos a faculdade de escolher.

A autodescoberta é a chave para a liberdade.

E faz com que tenhamos a capacidade de confrontar-nos com as nossas próprias verdades, nos ajuda a obter resposta que podem dar sentido à nossa vida, as incertezas se transformam em certezas e verdades e nos dá uma maior concentração no “agora”.

Além dos benefícios proporcionados pela autodescoberta, a ativação do DNA nos dá benefícios físicos, psicológico/emocional e de relacionamentos.

Fisicamente com a desintoxicação do corpo temos o crescimento mais rápido de unhas e cabelos, nos sentimos e parecemos mais jovens, o nível de energia aumenta, os sonhos se tornam mais lúcidos, temos vontade de nos alimentar melhor, uma melhor e maior comunicação com o corpo físico, maior consumo de água, uma maior capacidade natural de cura do corpo físico.

Os benefícios psicológico/emocional denotam uma maior autoconfiança, a intensificação das percepções, maior intensificação no discernimento, precisão no uso da linguagem, menos tensão e menos preocupação, memória mais aguçada e rápida correlação das ideias, renovada sensação de competência.

Nos relacionamentos verifica-se que os novos sentimentos são comunicados aos outros, as coisas “velhas” são deixadas, existe uma maior clareza nos relacionamentos, o amor pelas outras pessoas se aprofunda, atraímos as nossas “almas gêmeas” e membros da nossa família espiritual.

Com a ativação do DNA nós eliminamos a eletricidade estática do corpo emocional, conservando o dinamismo das energias Divinas no nosso corpo, curando as nossas ilusões e aprendendo simplesmente a “ser”, mostrando a verdadeira alma, a nossa Matriz Divina.

E são estes 10 novos filamentos que fazem com que cada um de nós possa absorver a Graça e a Sabedoria Divina.

 

Glândula Pineal

Publicado por Fatima dos Anjos

A pineal está localizada no meio do cérebro, na altura dos olhos. Ela é um órgão crono biológico, um relógio interno. Como ela faz isso? Captando as radiações do Sol e da Lua. A pineal obedece aos chamados Zeitbergers.

Por exemplo, o Sol é um Zeitberger externos que regem as noções de tempo e que influencia a pineal, regendo o ciclo de sono e de vigília, quando esta glândula secreta o hormônio melatonina. Isso dá ao organismo a referência de horário.

Existe também o Zeitberger interno, que são os genes, trazendo o perfil de ritmo regular de cada pessoa.

Nós vivemos em três dimensões e nos relacionamos com a quarta, através do tempo. A pineal é a única estrutura do corpo que transpõe essa dimensão, que é capaz de captar informações que estão além dessa dimensão nossa.

Para Descartes é o ponto em que a alma se liga ao corpo, até na questão física há uma lógica que é esta glândula que lida com a outra dimensão, e isso é um fato.

Todos os animais têm essa glândula; ela os orienta nos processos migratórios porque sintoniza o campo magnético. Nos animais, a glândula pineal tem fotorreceptores iguais aos presentes na retina dos olhos, porque a origem biológica da pineal é a mesma dos olhos, é um terceiro olho, literalmente.

 Os cientistas Vollrath e Semm, que têm artigos publicados na revista científica Nature, de 1988, comprovam que a pineal converte ondas eletromagnéticas em estímulos neuroquímicos.

O espiritual age pelo campo eletromagnético, se há uma interferência espiritual por exemplo, se dá justamente pelo campo eletromagnético. As interferência acontece na natureza pelas leis da própria natureza.

Segundo Sérgio Felipe de Oliveira, a pineal captaria informações do mundo espiritual por ondas eletromagnéticas, como “um telefone celular”, e as transformaria em estímulos neuroquímicos.

A parapsicologia diz que estes campos eletromagnéticos podem afetar a mente humana. O Dr. Michael Persinger, da Laurentian University, no Canadá, fez experiências com um capacete que emite ondas eletromagnéticas nos lobos temporais.

As pessoas submetidas a essas experiências teriam tido “visões” e sentiram presenças espirituais. O Dr. Persinger atribui esses fenômenos à influência dessas ondas eletromagnéticas.

Pesquisas recentes indicam que a pineal está ligado a dois centros nervosos, um de cada ouvido. Estes dois centros nervosos, e mais o centro situado na própria glândula, formam um triângulo, com a pineal no centro da cabeça com o ápice ou vértice superior, e dois centros nervosos dos ouvidos formando a base. Assim, os pesquisadores elaboraram o princípio de que tudo o que afete os tímpanos afetará a pineal, qualquer princípio que afete a pineal afetará os tímpanos.

A glândula está localizada em uma área cheia de líquido. o som faz o líquido vibrar, provocando uma reação na glândula. Essa belezinha, converte ondas eletromagnéticas em estímulos neuroquímicos.

A Física Quântica diz que tudo é vibração e nós vibramos em diferentes frequências, também somos influenciados em diferentes frequências, por meio natural ou não (falaremos disso mais tarde).

Estamos sendo bombardeados com energias vindo da galáxia, incluindo o bombardeio do Sol, tudo isso afeta a Terra e logicamente nos afeta.

Sempre vibração e som, recentemente os cientista conseguiram até reproduzir o som do Sol nas suas explosões solares.

Quanto mais se intensifica o som, mais a pineal “trabalha”, quanto mais ela trabalha, mais se intensifica o som, formando um circulo que nos leva rapidamente ao estado de projeção consciente.

Sendo assim, meus amigos, os barulhos, zumbidos, apitos, sininhos…que você pode estar ouvindo diariamente ou esporadicamente são produzidos pelo trabalho/desenvolvimento da glândula pineal e todo um fator externo está contribuindo para isso.

Nós estamos literalmente escutando essa belezinha trabalhar.

Essa glândula é nossa conexão com outras dimensões, nossa glândula foi danificada ao longo do tempo, por falta de uso, química (veneno) nos nossos alimentos, poluição e acredito que a nossa contribuição tenha realmente sido a maior de todas, porque caímos nas ilusões materialistas e hoje somos extremamente apegados a tudo que os nossos 5 sentidos podem tocar, sentir, ver e ouvir…

Pra terminar, vou deixar um exercício de meditação de desenvolvimento energético da pineal. Um exercício diferente, mas bem gostoso de realizar.

Certos exercícios psíquicos provocam um zumbido que começa a se manifestar nos ouvidos e persiste por algum tempo. Esse zumbido indica que alguma energia ou ação está sendo transmitida aos tímpanos, a partir da pineal. (Pesquisa feita pela Universidade de Basle na Suíça).

Deverá ser feito no escuro, onde a produção do hormônio da pineal aumenta.

– Por uma ou duas semanas, deve-se relaxar por alguns minutos, coloque o dedo indicador de cada mão o mais para dentro do ouvido que seja possível sem pressão incômoda;

– Enquanto os dedos estiverem nesta posição nos ouvidos, tomem uma inalação profunda pelo nariz e retenha o quanto possível;

– Mantenha a boca fechada, quando não puder mais prender a respiração, exale lentamente pelo nariz;

– Conserve os dedos nos ouvidos durante todo o tempo que esteja inalando, retendo e exalando;

– Respire normalmente por mais ou menos 30 segundos e repita o procedimento por 10 vezes.

Ao terminar, você sentirá um calor nos dutos auditivos.

A respiração pelo nariz, com os dedos colocados nos ouvidos, estabelece um circuito bem definido de vibrações positivas e negativas, que afetem os centros nervosos do crânio, o centro nervoso da tireoide, e os centro nervosos de cada um dos dois dedos.

O resultado deste exercício, se praticado conforme a instrução, será a desobstrução do nariz para a respiração e dos ouvidos para a audição, a eliminação de qualquer congestão craniana, o desenvolvimento da sensibilidade dos nervos do nariz a ponto de perceberem novos odores ou facilitar a os já conhecidos.

Ao mesmo tempo, a pineal irá despertar gradativamente, com crescente vitalidade para as funções psíquicas.